Sua Santidade, o fanatismo

10450590_6b2e_1024x2000

Bono não é o papa, muito menos Deus.

Quem gosta (e muito) de música como eu costuma ter várias bandas e músicos preferidos e claro, “aquela” banda pela qual se tem verdadeira paixão. Por ela somos capazes de fazer loucuras tanto para assistir seus integrantes num show, como para comprar seu álbum mais recente. Acho tudo isso muito saudável, faz parte da vida dos amantes da boa (ou não) música e também não deixa de ser uma maneira de reconhecer o trabalho dos caras que deram duro pra estar no patamar que estão hoje.

Dias atrás surgiu uma discussão em um grupo da banda U2 do qual faço parte. Sou fã dos caras há anos, tenho vários amigos que conheci por intermédio dessa admiração pelo grupo e claro, fiz algumas inimizades também. (Impossível não fazer).

A tal discussão se dava a respeito de uma possível declaração do vocalista da banda, Bono, que teve a infeliz ideia de comparar nosso ex-presidente Lula, a Mandela.

REALMENTE TUDO A VER, NÃO?

Eu, sob o direito que tenho de manifestar minha opinião, comentei a respeito, dizendo que  Bono havia defecado pela boca, e que a mesma só serviria para ele cantar em cima do palco. Em outras palavras: disse merda sim e eu como fã do trabalho dele soube separar. O cara é normal, falou besteira, quem de nós nunca falou?

RESULTADO: Se o grupo não fosse virtual eu teria sido linchada.

Assim como na religião e na política, tudo o que é demais irrita e existem pessoas que levam a paixão e a admiração ao talo extremo da falta de amor próprio e noção de bom senso. Você gostar das músicas da banda, de suas letras, do desempenho no palco, do “porte físico” dos músicos, tudo bem, é natural, evidencia que você é fã. E fã tem dessas coisas. Mas o que vejo por aí é um grupo de alienados incapaz de distinguir o certo do errado, a verdade da mentira e o pessoal do profissional. É um endeusamento insuportável, como se tudo o que o ídolo falasse ou fizesse fosse lei, e ai daquele que não concorda! “Ele não é fã de verdade, ele não tem o direito de dizer isso de um semideus, ou por que não, do próprio Deus?” Tal “ingenuidade” talvez seja o motivo que faça com que estas pessoas se esqueçam de que seus ídolos são feitos de carne e osso e podem sim errar, seja falando ou fazendo besteiras.

E vamos dizer amém a tudo o que o nosso Deus diz, não é mesmo? Vamos apoiá-lo todas as vezes que ele for infeliz em seus comentários.

 Não, não vamos. Não devemos.

Temos que ter nossa opinião, nossa personalidade. Colocar a mão na consciência, analisar os fatos. É isso mesmo? Ele pensa assim? Ele sabe como as coisas são por aqui? Falou besteira? Falou sim, fez uma comparação infeliz, tremendamente equivocada.

Com comparação ou sem comparação, de qualquer pessoa que seja, não vou concordar com ideias que vão contra as minhas. Nem que elas sejam ditas pelo Bono (que eu adoro, mas que pisa na bola SIM, afinal, vocês sabiam que ele é NORMAL?), pelo Papa ou quem quer que seja.

 Eu não concordar com um ídolo, com um amigo ou um parente e até mesmo dizer que ele está tendo uma disenteria pela boca não quer dizer que eu não goste dele, que não tenha nada dele que me agrade. Muito pelo contrário. Acho o engajamento do Bono divino, ele tem atitude, ele usa seu sucesso em favor daquele que precisa. Acho incrível, realmente admiro. Mas ele é passível de erro, não? Ele pode dizer algo que eu não concorde, não pode? São apenas divergências de ideias, e eu exponho as minhas assim: Falou merda, falou sim. Neste caso, falou sim.

Isso não me faz menos fã do que aquele que diz amém a tudo o que ele faz. Eu apenas tenho esta opinião, assim como quem é contra a minha tem total direito de manifestá-la sem ironias, sem dizer que a minha opinião é escrota. Porque aí estará usando de argumentos próprios a um fanático xiita.

Postado ao som da banda 707 – ‘Mega Force’ -1982

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Diversos, Opinião e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para Sua Santidade, o fanatismo

  1. Addy disse:

    Eu passei pela mesma decepção, mas foi numa comunidade de gatos, animal do qual gosto demais. Mas o fanatismo das pessoas ali me deu nojo….radicalismo mesmo, ódio por qualquer pessoa que escreva uma vírgula fora do padrão deles que é o de idolatrar o animal a ponto de prejudicar o mesmo em muitos aspectos… eles trancafiam seus gatos em apartamentos, castram, etc… não que isso não seja pra protege-los, mas sequer poder se questionar algumas situações que poderiam ser melhoradas??? Mas os fanáticos têm seus limites que os fazem ser contraditórios……pois se o Bono começar a dizer que comer merda é bom para a saúde, duvido que a grande maioria de radicais irá seguir o seu conselho de acrescentar merda à dieta… rsrs

    Mais uma vez, concordo com vc!
    Bjs.

    Curtir

  2. É aquela história né, tem que saber separar a obra do artista. Mas sei lá, parece que a internet provoca o radicalismo nas pessoas.

    Curtir

  3. Jorge Takeda disse:

    Excelente! Tenho a mesma visão sobre bandas, seus integrantes (enquanto pessoas) e fãs.
    Parabéns pelo blog

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s