A Black Music de qualidade da diva Lauryn Hill

Lauryn-Hill-1

Lauryn: uma das mais belas vozes da black music.

Hoje vou falar um pouco sobre Lauryn Hill, umas das melhores cantoras da (boa) Black Music e seu último álbum de maior expressão, “The Miseducation of Lauryn Hill”  lançado há 15 anos e que acredito eu seja um disco aconselhável pra quem já curte o estilo e também para aqueles que estão em busca de algo diferente, mas com alta qualidade.

Vale destacar antes de tudo a linda voz de Lauryn, digna das grandes divas sessentistas da Motown Records, coisa de se chamar a atenção de qualquer um, até mesmo de uma adolescente de 15 anos, idade que eu tinha quando a então vocalista do Fugees despontou para o sucesso com seu trio no bem-fadado “The Score”, de 1996.

Com brigas constantes entre os integrantes, principalmente entre Lauryn e Wyclef Jean (que chegaram a ter um caso, talvez tenha sido esse o real catalisador da separação do grupo em 1997, mas abafa), um dos trios mais promissores dos anos 90 chegou ao fim. Jean chegou a declarar à BBC que não apresenta nenhum otimismo em relação ao grupo e que os Fugees não estão destinados a ficar juntos. “Somos rockstars de um grupo fechado. A batalha de egos é inevitável, assim como as diferenças de opinião, mas apesar de tudo, no fim das contas, eu amo muito aqueles dois.”

Ok, tretas à parte o importante é que um ano após o fim do trio, Lauryn presenteou a todos com seu “The Miseducation of Lauryn Hill”, álbum carregado de Rap, Soul, Reggae, Rhythm & Blues e de um instrumental incrível com forte destaque para o baixo.

lauryn-hill-miseducation_thelavalizard

The Miseducation of Lauryn Hill, 1998.

O disco rendeu a Lauryn 5 Grammys em 1999 (de um total de 11 indicações, feito até então inédito à uma intérprete), entre os quais de Melhor Cantora e Álbum do Ano. O trabalho traz dezesseis faixas de excelente qualidade, o que mostra que é um dos melhores discos do estilo.

Ex-Factor” e “When It Hurts So Bad”, por exemplo, apresentam uma melodia motowniana belamente trabalhada no Soul em sua forma mais sutil com um vocal suave e baixo marcado.

 

Já na bela “To Zion”, Lauryn canta o amor a seu filho acompanhada da guitarra delicada de Carlos Santana e da batida charmosa do hip hop.

A animação do álbum fica por conta das entusiasmantes “Doo Wop (That Thing)”, o grande hit do disco e um dos maiores sucessos da cantora, que traz backings animados, perfeitos pra levantar qualquer festa e “Everything Is Everything”, que vem com a mesma pegada e animação da anterior.

A faixa-título “The Miseducation of Lauryn Hill” traz um som delicioso de vinil que acompanha toda a canção que apresenta violinos e piano suaves, sem duvida uma das mais bonitas do disco que ainda nos brinda com o belíssimo cover de “Can’t Take My Eyes Off You”.

Fico por aqui na torcida pra que o próximo trabalho de estúdio da cantora apresente um conteúdo tão rico e fiel à boa Black Music como este.

Postado ao som da própria Lauryn, “The Miseducation of Lauryn Hill”, 1998.

Anúncios

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Álbuns, Música, Soul e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s