She´s got the soul appeal: Motown Records e suas incríveis girl groups

Girl Groups dos 60´s: a marca registrada da Motown.

Girl Groups dos 60´s: a marca registrada da Motown.

Quem acompanha este despretensioso blog sabe da minha paixão pela Motown e suas bem fadadas produções; a Soul Music de qualidade e os excelentes intérpretes que passaram pela gravadora. Quando se trata de boa música a Motown nunca deixa de ser assunto e mais uma vez vou falar dela, só que agora destacando um pouco do que foram as girl groups dos anos 60, um dos grandes sucessos que o selo produziu. O termo girl group teve seu ápice no final dos anos 50 com o quarteto americano The Primettes, formado por Diana Ross, Florence Ballard, Mary Wilson e Betty McGlown, que durou apenas um ano (1959-1960) e deu origem ao The Supremes. O trio (que já não contava com McGlown) é um dos girl groups destacados neste post e o mais conhecido de todos os tempos.

Apesar dos grupos femininos terem emergido nos anos 60 (sobretudo na Motown), vale deixar registrado que desde o final da década de 20 já haviam alguns girl groups como o Hamilton Sisters and Fordyce (mais tarde Three X Sisters), The Boswell Sisters e The Andrews Sisters, que tinham um estilo mais voltado ao boogie-woogie.

Mas vamos ao que interessa, escolhi três super girl groups da Motown dos 60´s para trocarmos figurinhas:

The Marvelettes – Gladys Horton, Katherine Anderson, Georgeanna Tillman, Juanita Cowart e Georgia Dobbins formaram em 1960 o que viria a ser o primeiro girl group a estourar na Motown, o The Marvelettes. O primeiro álbum das garotas intitulado “Please Mr. Postman”, se consagrou como um dos maiores sucessos da gravadora. A faixa-título foi a primeira da Motown a alcançar o topo da Billboard Hot 100. As Marvelettes emplacaram vários outros sons nas paradas e entre suas melhores músicas estão Too Many Fish in the Sea, Playboy, Don´t Make Hurting Me a Habit, I Need Someone e I´ll Keep Holding On. O grupo terminou em 1975 se perpetuando como uma das maiores estrelas da Motown.

Martha and the Vandellas – Quando as coisas têm que acontecer elas realmente acontecem, que o diga Martha Reeves do Martha and the Vandellas. A moça já fazia parte de um grupo chamado The Del-Phis, mas não tinha grandes pretensões e trabalhava como secretária na Motown. Até que um belo dia do ano de 1962 foi convidada a substituir a cantora Mary Welss numa gravação do selo e a partir daí sua carreira deslanchou. Junto a Annette Beard, Gloria Williamson e Rosalind Ashford gravou  em 1963 o primeiro álbum do grupo, intitulado “Come and Get These Memories”, que alcançou grande notoriedade. Entre os muitos hits do grupo destaco as incríveis Jimmy Mack, Dancing in the Street, I Can´t Get Along Without You, Soul Appeal e Heatwave. O grupo começou a sofrer baixas e um verdadeiro entra e sai de integrantes, chegando a terminar em 1972. Nos anos 90 Reeve voltou com o girl group e chegaram a ser anunciadas como atração da Virada Cultural deste ano, mas o show acabou cancelado devido à falta de segurança ocasionada pelo mau tempo.

The Supremes – As já citadas Supremes são parte essencial da história da Motown Records, afinal é o girl group mais conhecido da gravadora. Como já falei anteriormente as garotas (Diana Ross, Florence Ballard e Mary Wilson), formaram em 1960 o trio que mais seria reconhecido dentro da soul music. Gravaram em 1964 seu álbum debut intitulado “Where Did Our Love Go”, apenas o primeiro de muitos que marcariam presença nas paradas musicais da época. A voz suave e delicada de Diana Ross aliada ao carisma e talento das demais integrantes fizeram das Supremes o grupo feminino mais famoso dos anos 60. Destaco entre as muitas obras-primas das meninas as canções A Lover´s Concerto, My World is Empty Without You, Nothing But Heartaches, Baby Love e I´m in Love Again. Assim como Martha & the Vandellas as Supremes também passaram por  algumas mudanças de integrantes e encerraram suas atividades em 1977, deixando como legado canções de altíssima qualidade e um promissor caminho para os músicos do Soul e R&B.

 

Postado ao som do álbum Where Did Our Love Go (1964) – The Supremes

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Soul e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s