Os 10 álbuns de 2014

A cada ano fica mais difícil de escolher...

A cada ano fica mais difícil de escolher…

Mais um ano que chega ao fim e como de costume surge mais uma listinha dos discos que embalaram a trilha sonora desta que vos escreve. Tendo em vista os inúmeros lançamentos de alta qualidade de 2014 ficou (como sempre) bem complicadinho de se escolher os dez mais, mas levei em conta aqueles trabalhos que me empolgaram do início ao fim e acabei fazendo uma espécie de retrospectiva ao ouvi-los novamente, o que foi bem interessante. Então bora pra mais uma lista de melhores do ano, com direito à belas menções honrosas.

(listado em ordem alfabética)

10703995_10152761215532930_1090147185692117753_n

AC/DC – Rock Or Bust: a pegada hard pesadona remete aos bons tempos da banda e o som aparece mais definido do que nunca; a presença dos riffs lendários de Angus Young, as viradas potentes do problemático Phil Rudd e os vocais esgarniçados do veterano (e vigoroso) Brian Johnson, deixam o álbum numa frequência bem interessante.

****************

turn-blue-53339cdab2d39

Black Keys – Turn Blue: com instrumental bem mais intimista, pode de primeira assustar aos fãs mais exigentes da banda que esperavam por algo que soasse próximo aos discos anteriores, mas devo dizer que este novo trabalho da dupla americana me surpreendeu de maneira bem positiva.

****************

album_art_hr

California Breed – California Breed: desde que Glenn Hughes revelou que estava preparando um novo projeto com Jason Bonham (seu ex-comparsa do Black Country Communion) e um jovem multi-instrumentista chamado Andrew Watt, eu contava os dias pra ouvir este novo trabalho. O álbum traz em sua essência o peso voltado a um rock bem mais cruzão, com toques de psicodelia, o que se pode notar com clareza nos riffs ásperos e batera seca.

****************

1920569_10152061420564473_170031924_n

Echo & the Bunnymen – Meteorites: Meteorites é nada mais do que o Echo And The Bunnymen sendo Echo And The Bunnymen, com músicas que bem poderiam figurar nos primeiros trabalhos dos caras, o que mostra que eles vêm mantendo a mesma pegada numa fidelidade musical que infelizmente a maioria das bandas não têm.

****************

20140114231011!Foster_the_People_-_Supermodel

Foster the People – Supermodel: os caras não abandonaram o pop eletrônico que os consagrou, mas deram uma repaginada instrumental e talvez alguns fãs mais conservadores possam estranhar de início, mas logo se acostumarão, afinal as doze faixas que compõem Supermodel são bastante sedutoras.

****************

LennyKravitzA

Lenny Kravitz – Strut: o décimo trabalho do músico americano é recheado de uma sonoridade que viaja no rock and roll groovado que Kravitz faz com maestria, passeando pela soul music e funk da melhor qualidade, numa reunião instrumental mais que perfeita, onde a cozinha (batera e baixo tocados pelo próprio Lenny) é sem dúvida, um dos grandes destaques do disco.

****************

CS540601-01A-BIG

Manic Street Preachers – Futurology: o álbum além de melodiosamente harmônico, traz instrumental perfeito e participações magníficas. Mais um belo trabalho de James Dean Bradfield & cia, que provavelmente já escreveu seu nome na lista de melhores discos não só do ano como da década e da carreira dos caras.

****************

pre_venda_cd_titas_nheengatu_192_1_20140428164634Titãs – Nheengatu: com instrumental pesado e muito bem excecutado, além de letras bem claras que criticam nossa sociedade, Nheengatu surpreende positivamente e deixa a curiosidade livre pra ver a banda ao vivo.

****************

1035x1035-large

U2 – Songs of Innocence: os caras resgataram sua musicalidade original, adicionaram letras embaladas por um clima nostálgico e pitadas de influências não só das antigas, como atuais. “Songs of Innocence” entra de vez no hall das super produções fonográficas, não só por sua estreia relâmpago, como especialmente pela alta qualidade instrumental das canções e conteúdo de suas letras.

****************

611xJHvK8HL._SL1006_

Vandenberg’s Moonkings – Vandenberg’s Moonkings: a guitarra hipnotizante de Vandenberg, as belas viradas de Mart Nijen e a precisão de Sem Christoffel no baixo; a forte influência de Led Zeppelin e o vocal forte de Jan Hoving que lembra e muito Robert Plant com leve toques do saudoso Dio, mas que ainda assim mantém estilo próprio, fazem deste disco, um belo registro fonográfico.

****************

Menções Honrosas: Stream of Passion- A War of Our Own , Blues Pills – Blues Pills, Yes – Heaven & Earth, Winger- Better Days Comin´ e Asia – Gravitas.

****************

Postado ao som do álbum Nheengatu (2014) – Titãs.

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Álbuns, Música e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Os 10 álbuns de 2014

  1. Kardek disse:

    Lista coerente pra um ano relativamente escasso de grandes lançamentos. Black Keys, Bunnymen e Manic Street Preachers foram os salvadores da pátria na minha humilde opinião! Torcendo por um 2015 mais feliz!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s