Resenhas: The Winery Dogs e Coldplay

Resenhas Coldpaly Winery Dogs

Estes são os últimos álbuns lançados em 2015 que passaram pelos meus ouvidos. São de estilos completamente diferentes, mas me ganharam pela qualidade. De um lado um power trio formado por alguns dos melhores músicos da atualidade, que mesmo mantendo sua identidade inicial, resolveu inovar um pouco mais; do outro, uma banda de extremos, amada por uns e odiada por outros, que volta com um novo trabalho bem superior ao anterior.

Dá uma conferida:

Hot-Streak-CoverThe Winery Dogs – Hot Streak: Um álbum para músicos. Essa é a impressão que tenho toda vez que coloco “Hot Streak” pra tocar. A banda manteve a identidade e qualidade (indiscutível, diga-se de passagem), mas preferiu focar-se em algo claramente mais técnico, deixando evidente que se afastou de faixas mais marcantes, como no caso do primeiro álbum, o autointitulado de 2013. Talvez a única que remeta um pouco mais ao trabalho anterior seja Oblivion, primeira canção do disco.

“Eu sinto que elevamos a banda para outro nível. Me sinto mais conectado lirica e musicalmente neste álbum”, contou o guitarra Richie Kotzen ao site Blabber Mouth. “Estou contente por estarmos bem mais seguros tocando canções que se encaixariam facilmente no primeiro álbum”, concluiu o baixista Billy Sheehan. “Algumas são um pouco diferentes e nós demos uma chance à elas. Às vezes você tem que arriscar, caso contrário, você não cresce.”

E neste trabalho “arriscado” destaco as faixas Hot Streak, How Long, Ghost Town, The Bridge, Spiral e a já mencionada Oblivion.

Disco indicado para músicos que, digamos assim, queiram aprofundar mais seus estudos, pois é uma senhora aula!

★★★★

 

Coldplay – A Head Full of Dreams

AHFOD1000O Coldplay é aquela banda de extremos, ou se ama, ou se odeia, e na maioria das vezes seus trabalhos causam polêmicas discussões até mesmo entre os fãs mais fervorosos do grupo. Nunca fui grande entusiasta da banda, confesso, mas não vou negar que o novo trabalho dos caras – “A Head Full of Dreams” – me pegou de jeito.

O disco possui 11 faixas – 12 na versão japa (a qual estou ouvindo freneticamente), e muitas participações, o que acabou por gerar diversos comentários a respeito do caminho que os caras estariam seguindo.

Acho bem engraçado como as pessoas gostam de rotular as coisas. Não é porque o álbum conta com participações de artistas pop que ele é necessariamente um álbum pop, muito pelo contrário, encontrei diversos elementos musicais que ainda fazem o Coldplay soar como uma banda de rock alternativo e faixas como Bird, Fun e Army of One demonstram que eles ainda mantêm a identidade.

Vale a pena citar ainda as músicas Adventure Of A Lifetime, Amazing Day, Colour Spectrum e a encantadora Miracles,  esta que encerra (a versão japa) do álbum.

Primeira vez que consigo ouvir um álbum inteiro da banda sem me deprimir! Viva!

★★★★

Postado ao som do álbum Hot Streak (2015) – The Winery Dogs.

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Álbuns, Música e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s