Bons álbuns do rock nacional através das décadas: 2000

Bons álbuns do rock nacional através das décadas 2000Apesar de muitos álbuns de grande qualidade terem surgido nos anos 2000, a década não começou muito bem para o rock nacional. Além de acidentes distintos que acabaram por deixar Herbert Vianna (Paralamas do Sucesso) e Marcelo Yuka (O Rappa) paraplégicos, a música brasileira ainda perdeu Marcelo Frommer (Titãs) e Cássia Eller. Isso tudo só em 2001!

Mas tristezas à parte, é hora de acompanhar a última lista da série de bons discos do rock nacional. Separei 9 álbuns bem interessantes e diferentes entre sí. Bora conferir!

MaquinaramaSkank – Maquinarama (2000): Começamos (e muito bem) a última década da nossa listinha pimpona com Maquinarama, quinto álbum lançado pelo Skank. O disco, um dos mais gostosos de se ouvir, foi dedicado ao produtor Suba, morto meses antes durante incêndio num estúdio de gravação.

Maquinarama traz em sua trilha 12 faixas muito bem elaboradas e conta com participação de grandes músicos como Andreas Kisser e Edgard Scandurra, entre outros. Três Lados, a delicinha Balada do Amor Inabalável, Canção Noturna, Maquinarama e Fica são os destaques do álbum.

 

a-melhor-banda-de-todos-os-tempos-da-ultima-semana-W320Titãs – A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana (2001): Com este título nada pequeno, os Titãs traziam em 2001 seu 11º álbum depois de um jejum de seis anos sem lançar um trabalho totalmete inédito. A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana marca um novo recomeço para os músicos: é o primeiro trampo da banda sem Marcelo Fromer, guitarrista morto pouco tempo antes dos caras entrarem em estúdio.

O álbum traz instrumental simples e divertido, mesclado à letras que abordam diversas fases da vida de um homem, garantindo bons momentos de audição.

Os destaques ficam com as faixas A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana, O Mundo É Bão, Sebastião!, as belas Epitáfio e Isso e a “titãnística” Cuidado com Você.

 

entre-seus-rins-W320Ira! – Entre Seus Rins (2001): Eu diria que o décimo álbum do Ira!, Entre Seus Rins, foi o último bom trabalho que a banda trouxe ao público. E digo isso como fã.

Os caras estavam numa boa fase tanto instrumental – Edgard Scandurra sempre foi e sempre será um grande guitarrista e compositor – como até mesmo na interpretação de Nasi – coisa que hoje em dia está bem difícil de engolir.

Entre as 12 faixas do álbum destaco o som soturno de O bom e velho rock ‘n’ roll, Entre seus rins, Milhas e Milhas, Mistério e O Tempo.

 

dez-de-dezembro-W320Cassia Eller – Dez de Dezembro (2002): Quando um grande artista se vai o que resta a nós, pobres mortais, é torcer para que haja em algum canto qualquer, registros inéditos prontos para serem lançados e consolar nossos ouvidos órfãos. E foi justamente o que aconteceu com Dez de Dezembro, álbum póstumo de Cássia Eller, produzido por Nando Reis e lançado meses depois do falecimento da cantora.

O álbum – delicioso de se ouvir do início ao fim – conta com 11 faixas, das quais se destacam No Recreio, All Star, Eu Sou Neguinha? Nada Vai Mudar Isso, Fiz O Que Pude e Vila Do Sossego.

 

rosas-e-vinho-tinto-W320Capital Inicial – Rosas e Vinho Tinto (2002): Taí mais um ótimo álbum lançado por uma banda que na minha modesta e humilde opinião não lançou mais nenhum trabalho de grande expressão.

Rosas e Vinho Tinto trouxe um Capital Inicial ao qual já estávamos acostumados, com letras precisas e linha instrumental bem definida, com destaque aos riffs interessantes de Yves Passarell.

O nono disco da banda traz 14 faixas e grandes destaques como À Sua Maneira (versão para a canção De Música Ligera, da banda argentina Soda Stereo), Como Devia Estar, Quatro Vezes Você, Olhos Vermelhos e Mais.

 

longo-caminho-W320Paralamas Do Sucesso – Longo Caminho (2002): Longo Caminho não é exatamente o melhor álbum da carreira do Paralamas, mas é sem dúvidas um dos mais importantes, afinal foi o primeiro gravado depois do acidente aéreo que quase matou o vocalista da banda, Herbert Vianna e tirou a vida de sua esposa, Lucy. Mesmo com letras compostas antes do fatídico incidente, Longo Caminho coincidentemente se casa com os acontecimentos da época.

O 10º disco dos caras é composto por 11 faixas e traz um som marcado por um instrumental bem seco e preciso. As canções O Calibre, Seguindo Estrelas, Cuide Bem do Seu Amor, Amor em Vão, Flores do Deserto (dedicada a Marcelo Yuka) e Flores e Espinhos merecem atenção especial.

 

índiceBarão Vermelho- Barão Vermelho (2004): Quando se fala em rock nacional é impossível deixar o Barão Vermelho de fora de qualquer lista. Seja nos anos 80, 90 ou 2000, os caras sempre representaram bem o gênero e o 12º trabalho da banda, de título homônimo, é mais um belo registro da turma de Roberto Frejat.

São 11 faixas do mais puro rock brazuca muito bem executado, diga-se de passagem, repleto de composições bem inteligentes ao melhor estilo Barão. Cara a Cara, Cuidado, Pra Toda A Vida, Embriague-se e Só o Tempo são os grandes destaques.

Vale lembrar que este é o último registro dos caras em estúdio e meu coraçãozinho de fã alimenta esperanças de que não seja o último dessa incrível banda!

 

índicegolpeGolpe de Estado – Pra Poder (2004): Assim como o Barão Vermelho, o Golpe de Estado é uma banda que representa bem o que foi o rock nacional nos últimos 30 anos. Prova disso é o sexto álbum dos caras, Pra Poder, gravado depois de um jejum de 10 anos e com um novo vocal.

Com produção da própria banda, Pra Poder traz o som do verdadeiro rock and roll com forte pegada de blues, riffs e solos energéticos. Das 11 faixas que recheiam este belo álbum destaco as sonzeiras Estranho Medo, Pra Poder, Navegantes, Todo Dia e Vagablues.

Digo e repito: uma das melhores bandas nacionais que infelizmente não tem o devido reconhecimento. Portanto, se você não conhece o Golpe ou conhece pouco, vá atrás e verá que não estou mentindo.

 

índiceludovLudov – O Exercício das Pequenas Coisas (2005): Este é um dos discos mais “tchuqui-tchuqui” que já ouvi. Por “tchuqui-tchuqui” entende-se encantador, sensível, adorável e etc…

O Exercício das Pequenas Coisas é um disco de audição deliciosa do início ao fim. É um pop rock de instrumental simples, com letras emotivas e interpretação única e intensa de Vanessa Krongold.

Com 15 faixas, o disco traz as canções Sério, O Dia em que Seremos Felizes, Dorme em Paz, Kriptonita, Supertrunfo  e a lindinha Princesa como principais destaques.

 

Postado ao som do álbum “Pra Poder” (2004) – Golpe de Estado.

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Álbuns, Listas, Música e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s