Lançamentos: Deep Purple, Richie Kotzen e John Mayer

Este mês estou boazinha e dei 5 estrelas para os 3 álbuns que eu ouvi, mas também pudera, são 3 puta discos de nomes já consagrados e que sabem muito bem o que estão fazendo!

Dá um confere!

Deep Purple – InFinite: Quando uma banda clássica lança um novo trabalho ela costuma dividir opiniões. Há quem ame e quem odeie e vi muito disso nos últimos dias sobre InFinite, 20º álbum dos monstros lendários do Deep Purple. Como eu acredito que cada um tem sua opinião e que cada resenha é feita sob uma perspectiva única e pessoal, deixo aqui minhas humildes impressões sobre mais este disco do Purple.

As 10 faixas de InFinite podem sim ser uma despedida da banda, ou não. Fato é que, a cada audição feita do álbum se pode perceber o espírito clássico do Purple emanando de todos os instrumentos. O Purple está lá, enraizado em cada riff, nos solos de guitarra magistrais e no teclado imponente e singular.

Sou uma entusiasta do trabalho antecessor dos caras (Now What?!, 2013) e acredito que InFinite seja ainda assim superior. Entre as faixas que mais se destacaram aos meus ouvidos estão Time for Bedlam, Hip Boots, All I Got Is You, One Night in Vegas e Get Me Outta Here (impressão minha ou Ian Gillan manda um “bom fim de semana!” aos 3:37? rsss), ou seja, a primeira parte toda do álbum é perfeita, sem tirar nem por. Talvez o único pecado de InFinite fique a cargo do cover para Roadhouse Blues do The Doors, que a meu ver não “ornou” muito com o restante do disco (sou fã de Doors, será que isso conta?).

No mais, InFinite é um excelente registro da banda, que garante grandes momentos e dá aquela sensação maravilhosa de que ainda se faz música boa no mundo.

★★★★★

******

Richie Kotzen –  Salting Earth: Um álbum feito nos moldes “one-man production”, (uma espécie de produção de um homem só)? Sim, e de acordo com Richie Kotzen, seu 21º trabalho foi produzido desse jeito, bem “por acaso”. “Realmente não havia nada resolvido quanto a isso. De repente as gravações do álbum terminaram e eu era o único intérprete nele. Ele realmente sai do meu processo de escrever e documentar minhas ideias”, declarou o músico ao site gringo TEAM ROCK.

As 10 faixas contidas em Salting Earth mostram que Kotzen deixou um pouco de lado as influências do soul e funk claramente absorvidas em Cannibals de 2015, e se jogou de cabeça num hard rock mais puro, com toques de blues que vez por outra dão as caras.

Entre os destaques de mais essa empreitada muito bem sucedida estão as músicas Thunder, I’ve Got You, Make It Easy (que conta com os backing vocals da baixista brasileira Júlia Lage, namorada do músico) e Grammy, lançada como single no ano passado e que de acordo com Kotzen veio a ele “de uma das maneiras mais estranhas” que uma música pode chegar. “Eu basicamente acordei com a melodia pronta na minha cabeça. Eu sabia que se eu não a registrasse, teria a perdido para sempre”, completa.

★★★★★

*****

John Mayer – The Search For Everything: Hora de desacelerar e dar lugar ao 7º trampo do músico americano John Mayer. The Search For Everything traz em suas 12 faixas toda a suavidade e sensibilidade que poucos sabem fazer. Vale lembrar que o disco começou como um projeto “diferentão”: Mayer gravou dois EPs contendo 4 faixas cada. Lançou The Search for Everything: Wave One em janeiro e The Search for Everything: Wave Two em fevereiro, e o resultado completo saiu neste mês.

Quem ouve o álbum não imagina a simplicidade com que as letras foram compostas: numa máquina de escrever Olympia! “Depois levei as páginas para o estúdio. Diminuí as luzes e me sentei no piano por horas ensinando a mim mesmo como a música deveria ser. Eu cantei naquela noite, e foi isso: o que você ouve na música é o original”, contou o músico para a Rolling Stone gringa.

O álbum é ideal pra se ouvir num momento mais calmo, pra dar aquela relaxada depois de um dia agitado. A qualidade vocal e instrumental é indiscutível e a pegada soul-funkeada, cheia de groove presente no decorrer do play é simplesmente perfeita!

Recomendo a audição por completo, não há nenhuma faixa que (ao meu ver) não se encaixe ao álbum; elas se completam e a sensação de paz é absurda!

Ouça com atenção as incríveis Still Feel Like Your Man, Emoji of a Wave, Love on the Weekend, Moving On and Getting Over e Rosie.

★★★★★

****

Postado ao som do álbum “The Search For Everything” (2017), John Mayer.

Anúncios

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Álbuns, Música e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Lançamentos: Deep Purple, Richie Kotzen e John Mayer

  1. Legal Rose, não tenho muito o costume de conhecer novos álbuns. Minha cabeça insiste apenas nos clássicos kkkkk mas adorei as dicas. Curto muito o Mayer.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s