Black Metal mais que pesado: Kurt Struebing, o guitarrista que cortou a mãe ao meio

No início dos anos 80 o rock – que já estava há muito consolidado – “desfiava” suas vertentes, originando diversos estilos e gerando bandas que ampliariam o cenário musical mais pesado.

O surgimento do Heavy Metal (ainda nos últimos suspiros da década de 60) e anos depois do New Wave of British Heavy Metal, trazia o começo de uma nova era, onde a pegada ficaria cada vez mais pesada e os riffs, solos e viradas, cada vez mais elaborados.

Algumas vertentes “descenderam” do heavy metal e todas as suas variações, e durante a década de 1980 diversas bandas apontaram numa cena mais extrema, como o Black Metal.

Foi nesse cenário, em 1983, que a banda americana Night Prowler nasceu. O som dos caras, claramente um Black Metal, abordava em suas letras temas políticos, guerras e a morte. A primeira demo, Evil Dead, saiu no mesmo ano. Já a segunda foi gravada no ano seguinte, quando eles mudaram o nome para NME (No Mental Effort). Em 1985 veio o primeiro contrato com a gravadora LSR Records e em 1986 o primeiro álbum, Unholy Death. O futuro dos meninos parecia promissor, se não fosse pelo líder da banda, Kurt Struebing.

Em 7 de abril de 1986, após consumo excessivo de drogas, o jovem Kurt Struebing, então com 20 anos, teve um surto e acreditou que era um robô. Durante a crise o músico assassinou sua mãe, Darlee Struebing, 53, em sua casa na Federal Way. Struebing alegou que precisou cortá-la ao meio para “comprovar que ela também era um robô”. Ele mesmo ligou para o 911 e se declarou culpado.

Struebing foi acusado por assassinato em segundo grau, (algo como homicídio doloso por aqui) e condenado a 12 anos de prisão na unidade de infratores mentais do reformatório Monroe. No entanto, após alegações dos promotores e advogados de defesa de que Struebing estava mentalmente doente, sua sentença caiu para 8 anos.

Em 1994 ao ser libertado Struebing reassumiu o comando de sua banda, que voltou a tocar em clubes e chegou a assinar um contrato com a gravadora Moribund Records para o relançamento de Unholy Death em CD.

No dia 9 de março de 2005, aos 39 anos, Struebing sofreu um acidente que tirou sua vida. Seu carro atravessou uma barricada e caiu da ponte Spokane Street em Seattle, Washington. Nunca se soube se ele estava sob influência de alguma droga, se foi um ato suicida ou apenas uma fatalidade. 

O músico que era casado e morava com a esposa e o filho (que na época de sua morte tinha 5 anos) encerrou uma vida que segundo os amigos, parecia ter sido vivida por duas pessoas diferentes.

Unholy Death, o álbum de 1986 é considerado uma “pérola” dentro do Black Metal. Vale destacar ainda, que este álbum era um dos preferidos do músico Euronymous (lembra dele? ), que era grande fã de Struebing e sua banda.

 

Postado ao som do álbum “Master of Puppets” (1986), Metallica.

Anúncios

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Bizarrices, Música e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s