Os 10 melhores álbuns de 2018

Eis a lista mais aguardada do ano, os 10 melhores álbuns lançados em 2018 (segundo a modesta opinião desta que vos escreve). E você, também fez sua lista?

*Álbuns listados na ordem em que foram postadas as suas resenhas no decorrer do ano.

 

Editors – “Violence”: O sexto trabalho da banda inglesa traz uma mistura evidente entre elementos da música eletrônica e do indie rock, só que um pouco mais pesado que o habitual .

 

Judas Priest – “Firepower”: Brutal, virtuoso, pesado. O álbum mostra todo o vigor de uma banda que está bem longe de pendurar as chuteiras e busca atualizar seu som sem perder a identidade. 

 

Manic Street Preachers – “Resistance Is Futile”: O décimo terceiro álbum da banda galesa já pode ser considerado um clássico. Resistance Is Futile traz certo toque de melancolia e densidade emocional em suas composições. o retrato fiel do que uma boa banda pode fazer com sua longa experiência.

 

Florence + The Machine – “High as Hope”: Um álbum que canta a solidão e a dor, mas que ao mesmo tempo traz um tom de esperança. Envolto num clima minimalista e sóbrio, discorre sobre assuntos dolorosos e traz na doce voz de Florence Welch interpretação sensível e singular.

 

Devotchka – “This Night Falls Forever”:  Indie rock em sua versão mais épica e cinematográfica, mesclado a um instrumental que ultrapassa os limites da sutileza  e com vocal emotivo, crescente e nostálgico de Nick Urata.

 

Alice in Chains – “Rainier Fog”: Um retorno à sonoridade noventista com aquele toque mais pesado já conhecido dos fãs de longa data, só que mais amadurecido. Mais do que um tributo à Seattle e ao grunge. É a prova concreta do que uma banda experiente pode fazer.

 

Joe Bonamassa – “Redemption”: Um verdadeiro apanhado de sons e sensações que vão desde a pegada marcante de um Led Zeppelin, passando pelas elaboradas Big Bands, até o ritmo deliciosamente introspectivo do “Chicago Blues”. Mais um trabalho ambicioso de Joe Bonamassa, que já se firmou como um dos grandes músicos de blues da atualidade.

 

Lenny Kravitz – “Raise Vibration”: São 12 faixas que transbordam positividade através de melodias funkeadas e cheias de groove. Álbum coeso, de audição ensolarada e positiva.

Imagine Dragons – “Origins”: O quarto álbum da banda americana dá uma bela passeada em diversos estilos, mas sem perder a personalidade musical que fez o grupo se destacar em seus trabalhos anteriores.

Muse – “Simulation Theory”: Muita ficção científica, conspirações, fake news, cultura pop e realidades simuladas, envoltos numa sonoridade retrô que mescla ao mesmo tempo o rock ao synthpop e ao eletrônico contemporâneo.

 

 

Postado ao som do álbum  “This Night Falls Forever” (2018), Devotchka.

Anúncios

Sobre rosegomes

Rose,Tia Rose, Desert Rose ou só Desert, como quiser. Estudante de jornalismo, amante de boa música e boa bebida. Traz no currículo a pretensão de ser um Fábio Massari de saias. Contato: cademeuwhiskey@gmail.com
Esse post foi publicado em Álbuns, Música e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s